sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Breves considerações sobre a pregação


A pregação é o meio pelo qual Deus anuncia aos homens a sua vontade, seus decretos e compartilha com eles de seu plano salvador. Então, a pregação é algo muito importante, talvez nem saibamos o quanto, mas é. Então, seja você pregador ou ouvinte, convido você a meditar nestas breves considerações a respeito da pregação da palavra de Deus.

O propósito final da pregação é edificar o ouvinte e isso acontece das mais diversas maneiras, seja trazendo paz ao que já não tem nenhuma, seja renovando as esperanças daquele que está pronto para desistir, seja alcançando o coração do perdido e levando até ele o conhecimento da maravilhosa graça salvadora e bendita oferta de perdão do nosso Senhor. A questão é que a pregação sim, é algo importante. Cristo pregou a palavra de Deus, os discípulos, a igreja primitiva também. E nós? O que temos pregado e com que finalidade pregamos?

Pregador, você deve se esforçar para comunicar a vontade de Deus através de seu sermão. Ouvinte, você deve buscar entender a vontade de Deus através do sermão que ouve. Logo no parágrafo anterior, caso alguns não tenham notado, eu disse que o que Cristo, os discípulos e a igreja primitiva pregaram foi a palavra de Deus. Comunicaram a vontade de Deus. Cada minuto que fazemos uso do púlpito, ou de qualquer outro meio para comunicar algo em nome de Deus, estamos gastando o tempo que nos foi confiado e, gastando o tempo do ouvinte que está investindo em ouvir-nos.

Deve então o pregador, derramar-se na presença de Deus, buscando sua vontade, estudando sua palavra com afinco e dedicação. Gastar seus dias em oração e meditação na palavra. Mergulhar a sua mente em Cristo.

As pessoas vão ao culto ou param para lhe dar ouvidos e atenção, pois necessitam. Sim, o pecador é um necessitado de salvação, o aflito é um necessitado de conforto, o triste necessita de uma palavra que lhe encha de gozo e alegria. Então, faça um correto uso do momento de pregação, as pessoas tem expectativa de ouvir a Deus através do seu sermão. Se você não pode humildemente comunicar o querer de Deus, tenho a triste notícia de que não és um pregador.

É triste ver o nível raso, superficial e indiferente com que alguns ditos pregadores encaram a tarefa da pregação. É até deprimente por assim dizer ouvir alguns sermões. Vemos pregadores preguiçosos e, se for para rimar eu diria que também presunçosos. Isso porque falta tudo, falta fervor, falta oração, falta desejo de anunciar o Deus salvador, falta desejo de ver o pecador arrependido aos pés de Cristo, falta bíblia. Sim, exatamente isso, falta bíblia pois, se houvesse bíblia com certeza haveria a preparação necessária para falar sobre as coisas de Deus.

Nós, como comunicadores, porta-vozes de Deus, não temos absolutamente nada de nós mesmos para comunicar ao povo, seja ao crente ou ao incrédulo. Comunicamos a mensagem, não criamos ela, não inventamos ela, não mudamos ou adulteramos partes dela que não gostamos. Se Deus quisesse que falássemos de nós mesmos Ele não teria deixado a mensagem pronta, ao contrário, nos mandaria criar e anunciar uma.


A solução correta é abandonar o mais rápido possível este modelo falido de pregação. Sim, o modelo antropocêntrico, fútil, humanista que adora a criatura e não o Criador. Você pregador, deve pregar para a glória de Deus e, naturalmente para a edificação do seu povo e para alcançar os seus eleitos, é necessário entender que nada é sobre nós ou sobre nossas habilidades. É tudo dEle, por Ele e para Ele.

Anderson de Moraes

0 comentários:

Postar um comentário